fbpx

A indiferença para com o outro é uma técnica bastante utilizada por pessoas que têm um grande autocontrole e que se presumem mais racionais do que intuitivas. É, não só uma expressão de violência passiva, mas também um mecanismo disfarçado de abuso psicológico. Ou seja, prejudica a vários níveis a pessoa a quem se aplica.

Esta indiferença traduz-se num conjunto de comportamentos que têm como objetivo ignorar o outro. Ocorre nos mais diversos tipos de relacionamentos, seja entre casais, amigos, pais e filhos, parentes, etc. Implica a existência de um conflito anterior. Contudo, em algumas ocasiões, a vítima desse tipo de comportamento ignora esse conflito, unicamente porque o outro não o expressou abertamente.

Ações como parar de conversar com alguém, não levar em conta o que o outro diz ou fingir não ouvir; marcar a distância e evitar a companhia de uma determinada pessoa, ignorar solicitações ou necessidades expressas e realizar qualquer conduta que vise anular ou tornar alguém invisível, são algumas das atitudes levadas a cabo por quem quer “magoar” o outro.

Sendo bastante prejudiciais, estes comportamentos, não só denotam imaturidade e falta de inteligência emocional, como também podem causar sérios efeitos no outro. Quem se comporta desta forma tenta controlar e irritar os outros.

Consequências

A pessoa a quem se aplica esta indiferença pode desenvolver sentimentos negativos muito intensos. Ser tratado deste modo, para muitas pessoas é sinónimo de desvalorização ou até mesmo anulação. Para além disso, se tudo decorrer no âmbito do silêncio puro e duro, tudo se torna mais difícil de ultrapassar, pois a vítima não sabe interpretar o que se está a passar, tendo tendência a pensar que fez algo de muito mau, quando na realidade nada fez de tão grave para ser tratado dessa maneira. Quem é ignorado tende a ficar imerso em sentimentos de tristeza, levando muitas das vezes a situações depressivas. Sente raiva, medo, angústia, culpa. Cada um de nós pode reagir de diferentes formas a uma rejeição ou uma traição, mas… Como enfrentar o vazio emocional da indiferença?

Sintomas Físicos

Existem estudos que provam que a sensação de ser excluído ou ignorado leva a algumas alterações no cérebro. Existe uma área chamada “córtex cingulado anterior”, cuja função é detetar os diferentes níveis de dor nos seres humanos. Descobriu-se que esta área é ativada nas vítimas de indiferença e quando são ignoradas.

Como resultado, os sintomas físicos também começam a aparecer. É comum ter dores de cabeça e problemas digestivos. É igualmente frequente o aparecimento de insónia e fadiga. Se a situação é muito grave e contínua, surgem problemas mais sérios, como aumento da pressão arterial, diabetes e até doenças como o cancro. O sistema autoimune é também afetado, principalmente devido às altas doses de stress causadas por essa situação.

Como lidar com a situação?

Por vezes, estes acontecimentos acontecem entre duas pessoas que têm muito carinho entre si, como membros de um casal, grandes amigos, irmãos, etc. Pensam que, ao impor esse regime, o outro mudará algum comportamento ou fará com que o outro faça o que ele quer. Contudo, ignorar o outro como uma forma de punição só destrói relacionamentos.

O silêncio é saudável quando há muita exaltação e é necessário fazer uma pausa antes de agravar o que acontece. No entanto, quando é usado como meio de controle ou punição, torna-se abusivo. Ninguém deve ser deixado passivamente para ser ignorado por outro, pelo menos não sem uma explicação do seu comportamento. Quando existe um problema, o que se deve fazer é dialogar para encontrar soluções. Mas isso é censo comum. O silêncio e a distância só geram mais mal-entendidos e, no final, não resolvem absolutamente nada. Só precisa de pôr em prática, para sorrir com saúde!

Como dizia William Shakespeare: “O pior pecado contra os nossos semelhantes é não odiá-los, mas tratá-los com indiferença”

Fontes:
www.amenteemaravilhosa.com.br
www.contioutra.com;
www.desprograme-se.com